Resenha do filme “A Ilha”

22 de Agosto de 2012 at 11:06 6 comentários

Suellen Lais Vicentino

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Biociências Aplicadas a Farmácia

O filme “A ILHA”, lançado em 2005 pelo diretor Michael Bay (mesmo diretor de Transformers), traz a história de pessoas que vivem em um grande complexo onde acreditam que sobreviveram a um suposto vírus mortal que atacou o planeta terra. O único lugar que o vírus não pode chegar é um lugar paradisíaco chamado A ILHA, onde em certos momentos algum morador do complexo ganha na loteria, dando-lhe o direito de morar na “ilha”. Porém Lincom-Six-Echo (Ewan McGregor), um morador do complexo, descobre que “A ILHA” não existe.  E ao conseguir fugir do complexo leva consigo sua amiga Jordan–Two-Delta (Scarlett Johansson), que seria a próxima  sortuda a “ganhar na loteria” , os dois começam a descobrir que na verdade são clones encomendados por seus “proprietários”, para quando necessitarem de “novos” órgão, por exemplo, tivessem a disposição.

Mais o que seria um clone? Como se precede a clonagem? É permitido produzir um clone humano?

Clone, termo criado em 1903 por um botânico, é designado como  um descendente de um conjunto de células, moléculas ou organismos geneticamente igual à de uma célula matriz. O processo de clonagem se baseia na utilização de um nucleo de uma célula, da qual será implantado em uma célula que não possui núcleo, e posterior implantação em um útero. Esse foi o processo realizado com para o nascimento da ovelha Dolly. Mas e se fossem feitos clones humanos? A produção de clones humanos é discutida na ciência para a obtenção da cura de muitas doenças, por exemplo, leucemia, transplantes de órgãos compatíveis (caso mostrado no filme), mas imagine que você “encomende” um clone seu, e ele venha a nascer com anomalias. O que você faz? Despreza? Entra na justiça para o laboratório devolver seu dinheiro? Lembre-se que estamos falando de um ser humano, e não de um boneco.  A ciência busca alternativas nas células tronco que normalmente é obtida pelo processo de clonagem terapêutica para cura de doenças, como a paralisia de membros. Já a clonagem reprodutiva, ou seja, que dá origem a um novo ser vivo, esta é proibida em vários países. A ciência ainda tem muito a fazer para encontrarmos muitas respostas, entre elas a cura de doença.  Mas assista o filme e tenha seu ponto de vista sobre os princípios éticos da clonagem.

Entry filed under: Sem categoria. Tags: , , , , , , , , , , .

Porque o céu “fica vermelho” ao entardecer e ao amanhecer? O que é aquele círculo que forma em volta da lua em algumas noites?

6 comentários Add your own

  • 1. gaba  |  24 de Março de 2015 às 14:54

    verdade

    Responder
  • 2. amanda  |  22 de Outubro de 2014 às 16:46

    obg pelo resumo nem lio texto

    Responder
  • 3. Patrícia  |  17 de Agosto de 2014 às 9:56

    Acho que você não entendeu bem o filme João, eles fazem o corpo inteiro, porque o corpo inteiro é a apólice de seguro. A pele, todos os órgãos. Não é algo para ser produzido depois que o problema surgir, mas sim antes. Como é o caso da mulher que foi assegurada, ela sofreu um acidente, iria precisar de vários órgãos de uma vez, começar a produzir um a um depois que ela precisa poderia ser tarde, sem falar que se ela ficasse deformada estava ali não só pele, mas ossos para substituir tudo.
    Também discordo do anacronismo que você citou, os carros mais modernos convivem com os antigos, nada é substituído de uma vez, mas aos poucos. Ainda vemos pessoas andando de carroça, ou até empurrando uma carroça em muitas cidades, junto com pessoas andando de carro. O mesmo poderíamos dizer do Japão o país do trem-bala onde muita gente vai de bicicleta para o trabalho.
    O filme é excelente, ele explora muito a questão da ética na engenharia genética e por isso mesmo ele não agrada alguns. Mas a questão é até que ponto um pessoa chegaria para se manter viva, em nome de uma pretensa imortalidade.

    Responder
  • 4. joao paulo  |  6 de Abril de 2014 às 19:34

    o filme a ilha erra em ideias equivocadas, voce nao precisa contruir um carro para tirar uma peça deste e so contruir a peça. a velha cena do blade runner onde o ciborge roy entra no laboratoio do shue;este diz; voces sao nexus?! “eu fiz os seus olhos eu sou engenheiro genetico faço olhos!” esta afirmaçao do shue no blade runner derruba praticamente todos os outros filmes psedo cientificos. o utero artifical existe desde os anos 60 e fabricar um orgao individualmente e so lembrar da orelha nas costas do rato a 13 anos atras. outro erro e mostrar o trem flutuando e a moto voadora em um ambiente cheio de maquinas antiquadas como o helicoptero, o que torna anacronico. o filme a ilha nem de longe e o melhor filme sobre engenharia genetica, gattaca e melhor (mas este e um sociedade psedo perfeita, indo para extinçao) .

    Responder
  • 5. ANA LIVIA BOHRER  |  13 de Abril de 2013 às 18:47

    GOSTEI

    Responder
    • 6. fabiane  |  16 de Setembro de 2016 às 15:13

      O filme na minha opinião é ótimo!
      Recomendo sim 😁

      Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Site do MUDI

Arquivo


%d bloggers like this: