Barbara McClintonck: uma gigante da genética

21 de Março de 2014 at 20:51 Deixe um comentário

Por: Suellen Lais Vicentino Vieira

Doutoranda do Programa de Biociências e Fisiopatologia – PBF – UEM

1

Mulher, mulher, santa mulher de cada dia, símbolo de beleza como Marilyn Monroe, ternura e bondade como Zilda Arns. O que seria do mundo sem sua presença, mesmo sendo considerado o sexo frágil? Se pensarmos na história sempre irá observar uma imagem feminina por traz de algo importante, como a de Barbara McClintock. O que, você não a conhece? Pois bem vamos aos fatos. Barbara nasceu em Nova York em 1902, foi uma figura importante na área de botânica e especialista em genética. Fez descobertas dos elementos genéticos móveis nas décadas de 1940 e 1950. Recebeu o prêmio Wolf de Medicina em 1981 e o Nobel de Fisiologia/Medicina em 1983, pela descoberta do fenômeno conhecido como transposição genética, além de outros prêmios, honra ao mérito e condecorações.

 Em um mundo tão masculinizado onde a figura do homem predomina no hall da fama das grandes descobertas, para esta pesquisadora não existiam barreiras.  Barbara ingressou na faculdade em 1919, mesmo com objeção da mãe, pois considerava que a filha ao estudar iria ter dificuldades para se casar, “crendices da época” ! Incentivada pelo pai, ingressou nos estudos recebendo o grau de Bachelor of Science em botânica em 1923. Especializou-se em genética e fez contribuições de extrema importância à ciência, garantindo seu podium dos “Nobéis” da vida! Barbara desenvolveu formas de corar e caracterizar cromossomos do milho, que eram completamente desconhecidos na época. Ao estudar a morfologia dos cromossomos, foi capaz de ligar grupos cromossômicos específicos de características que foram herdados em conjuntos além de diversas outras pesquisas e descobertas na área que contribuíram para o avanço cientifico.2

Barbara McClintock com certeza é um exemplo de determinação e caráter a ser seguido, e sendo considerada um dos pilares da genética ao lado de Mendel e Morgan. Despertada pelo prazer de saber, dedicou anos de sua vida a pesquisas científicas e a descobertas de grande impacto.

Entry filed under: Sem categoria. Tags: , , .

Nise da Silveira e a luta pela humanização no tratamento psiquiátrico Gertrude Belle Elion: os grandes feitos de uma cientista

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Site do MUDI

Arquivo


%d bloggers like this: