PORQUE NÓS ENSINAMOS E ELES NÃO APRENDEM?

18 de Abril de 2016 at 9:22 Deixe um comentário

Marcelo Alberto Elias

Biólogo – Professor / Mestrando em Biologia Comparada – UEM

prof texto agora

Essa é uma pergunta que faz com que nós educadores e pais, percamos algumas noites de sono ou ao menos deveria. Por que nós ensinamos, uma, duas e até três vezes e nossos alunos não aprendem? A transmissão do conhecimento é um processo tão antigo quanto o próprio homem, este sempre precisou aprender – ensinar – aprender, nos mais variados momentos de sua existência.

Porém, a organização dessa tarefa dentro de uma estrutura sólida, ou seja, as paredes de uma escola é um desafio para as gerações e atualmente é o grande desafio para a nossa geração. Os alunos atuais “cheios” de conhecimentos tecnológicos e informações muitas vezes mais atualizadas que os próprios professores, não chegam mais na escola esperando pelo conteúdo vindo dos mestres, eles trazem em si muitos questionamentos, e querem que esses sejam respondidos.

O professor por sua vez, na maioria das aulas quer transmitir um novo conceito sem levar em conta esse anseio que seu aluno trouxe para a sala de aula, e isso faz com que o resultado seja professores frustrados, porque seus alunos não querem saber da sua “matéria” e alunos desanimados porque a escola é “chata”. Mas e o professor porque não quis saber da “matéria” do aluno?

Conhecer e perceber nossos alunos são ferramentas essenciais para o sucesso no processo de ensino e aprendizagem, e nesse âmbito precisamos saber que nosso público não aprende todos da mesma forma.  Alguns são mais visuais e aprendem com facilidade com as figuras, escritas no quadro ou projeções, outros auditivos e já preverem ouvir do professor os conteúdos presentes na apostila e outros ainda sinestésicos que tem uma grande necessidade de fazer parte da construção daquela ideia ou daquele conteúdo.

Sabendo disso como estão nossas aulas? Será que elas estão repletas de metodologias variadas visando alcançar todos os tipos de aluno? Ou estamos focando em uma única metodologia e os outros que se adaptem a ela?

Nesse caminho uma coisa é certa se nosso aluno não for cativado por nossas aulas, ele tão pouco prestará alguma atenção e menos ainda aprenderá algo conosco. Usamos a linguagem errada com eles e queremos que eles aprendam. “É como falar em Chinês com alguém que só entende Inglês” o resultado é o fracasso.

Por isso escolas antenadas, professores diferenciados e pais atentos estão buscando cada vez mais um ambiente personalizado onde todas as características de aprendizado sejam respeitadas e potencializadas. Afinal, somos todos geneticamente diferentes e aprendemos também de formas diferentes.

Enfim professor recheie suas aulas com figuras, músicas, filmes, textos de apoio, protótipos e tudo que vier acrescentar sua grande habilidade de construir um conhecimento com seus alunos.

PENSE NISSO…
texto agora

Entry filed under: Sem categoria. Tags: .

Pesquisadores da UEM buscam novos compostos com propriedades anti-inflamatórias As Baratas-gigantes-de-Madagascar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Site do MUDI

Arquivo


%d bloggers like this: