Posts tagged ‘aterosclerose’

Horário de Verão

Sumiko Massago

Acadêmica de Geografia da UEM e Monitora do MUDI

O horário de verão é utilizado por aproximadamente 90 países, incluindo o Brasil, caracteriza-se pelo adiantamento do relógio com o objetivo de economizar energia e aproveitar melhor o sol.

Começou no Brasil há muito tempo, em 1931, quando o presidente Getúlio Vargas implantou esta mudança de horário. Todavia, só em 2007 passou a ser adotado anualmente com datas pré-definidas, quando o ex-presidente Lula decretou que iniciasse sempre no 3º domingo de outubro e terminasse no 3º domingo de fevereiro, exceto quando coincide com o carnaval.

Hoje ele esta presente em todos os estado da região sul, sudeste e centro-oeste do Brasil, além da Bahia e DF, levando a redução no consumo de energia que represente a economia de aproximadamente R$ 160 milhões entre 2011 e 2012.

Por outro lado, essa mudança leva ao desajuste do relógio biológico ocasionando a diminuição do rendimento escolar e da atenção. Ainda altera hábitos alimentares e perturba o sono.

Ainda precisamos destacar que nessa época diminui o consumo de energia e a queima de combustíveis fósseis além de termos mais tempo para aproveitar a claridade do dia ao entardecer, o que beneficia o comércio, esporte e outras atividades.

Você sabia…

  • As regiões  próximas da linha do Equador tem pouco ou nenhum proveito de horário de verão.
  • Dependendo da localização em relação a linha do Equador chegam a adiantar 3 a 4  horas.         
  • O horário de verão foi criado em 1784 por físico Benjamin Franklin, o inventor do pára-raios.
  • Quando saímos do horário de verão, mudamos nossa rotina de exposição ao sol alterando a secreção de melatonina que regula o sono e a temperatura corporal.
  • Os sistemas de informática de muitas empresas precisam ser desligados e religados  no inicio e termino do horário de verão para evitar panes ou outros efeitos indesejáveis.
  • Para o próximo verão a estimativa é de economizar entre R$ 75 milhões e R$ 100 milhões.               
  • O próximo horário de verão vai do dia 21/10/2012 a 24/02/2013.

 

22 de Outubro de 2012 at 8:41 Deixe um comentário

Hipertensão Arterial

Profª Drª Tania Regina Santos Soares

  • O QUE É?

O coração funciona como uma bomba que impulsiona o sangue para as artérias, e a força com que ele faz isso chama-se pressão arterial. Que é determinada tanto pelo volume de sangue bombeado quanto pela resistência que os vasos oferecem a esse sangue. Então a hipertensão se caracteriza por uma pressão arterial acima de 140X90 milímetros de mercúrio, em adultos com mais de 18 anos em repouso, sendo confirmada 3 vezes consecutivas.

É imprescindível esclarecer hipertensão arterial é uma doença crônica que afeta cerca de 20% da população adulta. A metade dos hipertensos desconhece a própria enfermidade. Pode evoluir sem sintomas por mais de 20 anos e, quando não tratada, causa lesões em diversos órgãos e sistemas, produzindo graves complicações. Contribui para o aumento da aterosclerose, podendo determinar sérias complicações, invalidez e também a morte.

A maior incidência de hipertensão arterial ocorre geralmente entre os 30 e
os 55 anos de idade. A hipertensão arterial, bem como suas complicações, pode ser controlada, bastando que se conheça melhor essa doença. É importante salientar o curso assintomático da doença, contudo algumas pessoas podem sentir: dor de cabeça matinal localizada um pouco acima da nuca, tonteiras, sangramento nasal, opressão no peito e cansaço.

  • CONSEQUÊNCIAS

As complicações atingem inúmeros órgãos e sistemas se a doença não for controlada e tratada adequadamente, causando:

  1.  No sistema nevoso central: infartos, hemorragia e encefalopatia hipertensiva.
  2.  No coração: cardiopatia isquêmica (angina do peito), insuficiência cardíaca, aumento de coração e em  algumas situações, morte súbita.
  3.  Nos pacientes com insuficiência renal crônica: nefroeslerose
  4.  Nas artérias: oclusão e obstrução das artérias carótidas, aneurisma de aorta, doença vascular nos membros inferiores.
  5.  No sistema visual: retinopatia, que provoca diminuição da visão.

É imprescindível esclarecer que esta é uma doença silenciosa e que na maioria das vezes diagnosticada, pelo aparecimento das complicações anteriormente citadas.

  • CAUSAS

95% dos casos são chamados de essenciais, por não terem causa definida e estarem associados a múltiplos fatores de risco:

  1.  Histórico familiar: ter parentes próximos hipertensos significa maior risco.
  2.  Idade: a hipertensão é mais comum após os 35 anos.
  3.  Raça: é mais freqüente nas pessoas da raça negra.
  4. Sensibilidade ao sódio: para quem é sensível, o consumo de sal e outros alimentos que contém sódio é um fator de risco importante.
  5. Estresse emocional: a ansiedade e as preocupações decorrentes das mudanças e desafios do dia-a-dia elevam o nível de adrenalina no sangue.
  6. Drogas: fumo, álcool, alguns medicamentos como os descongestionantes nasais à base de vasoconstritores, os anti-inflamatórios,pílulas anticoncepcionais, entre outros, elevam a pressão sanguínea.
  7.  Sedentarismo/obesidade.
  • COMO PREVENIR?!

Os três primeiros fatores de risco citados não são evitáveis, porém, os demais podem ser com um estilo de vida mais saudável, como:

  1.  Evitar excessos alimentares, principalmente sal de cozinha, álcool, gorduras e açúcar.
  2.  Não abusar de alimentos com alto teor de colesterol (manteiga, banha, bacon, gema de ovo, gordura de coco, rins, miolos, peles de aves, frutos do mar, chocolate, cacau, frituras em geral).
  3.  Controle do estresse e peso corporal.
  4.  Não fumar.
  5.  Não tomar medicamentos sem orientação médica.
  6. Praticar exercícios físicos,regularmente, sob supervisão médica.

3 de Setembro de 2012 at 9:56 Deixe um comentário

Aterosclerose

 

Profa. Dra. Tânia Soares

 

O QUE É?

Aterosclerose é o depósito na parede das artérias de substâncias gordurosas junto com colesterol, cálcio, produtos de degradação celular e fibrina (envolvida na coagulação do sangue e formador de coágulos). O local onde esse depósito ocorre chama-se placa.

Esclarecendo: AteROsclerose é diferente de ArteRIOsclerose, que é um termo geral usado para denominar o espessamento e endurecimento das artérias, decorrente do envelhecimento das pessoas.

 

 QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS?

As placas podem obstruir total ou parcialmente uma artéria, impedindo ou diminuindo a passagem de sangue. Além disso, sobre as placas podem se formar coágulos de sangue, denominados de trombos que, ao se soltarem, provocam embolias arteriais. Havendo diversas consequências de acordo com o órgão atingido:

 

O QUE CAUSA?

A aterosclerose é uma doença de progressão lenta e que pode se iniciar desde a infância. Em algumas pessoas atinge maior intensidade de progressão na terceira década (a partir dos 20 anos de idade) e noutras somente depois da quinta ou sexta década (50-60 anos). Sobre as causas de seu início não se sabe

muito, porém. Existem quatro teorias que tentam explicar porque a camada mais interna (endotélio) dos vasos é atingida.

  • A elevação da pressão arterial
  • A elevação dos níveis de gordura no sangue (colesterol e triglicerídeos).
  • O fumo. A fumaça do cigarro particularmente agride o endotélio das artérias das pernas, das artérias coronárias e da artéria aorta.
  • Ação de toxinas de origem infecciosa no endotélio das artérias.

 

ATENÇÃO: Por só um desses fatores ou mais de um deles, a camada interna das artérias fica espessada, o que diminui a luz dos vasos atingidos e a oferta de sangue nos territórios irrigados por esses vasos fica reduzida. Passando pouco sangue, menos do que o necessário para manter a função do órgão irrigado por ele naquele momento, ocorre a isquemia, o que no coração provoca a angina do peito.  Se o bloqueio é total, quando nada de sangue passa ocorre:

  • No cérebro: a trombose cerebral.
  • Na perna: a claudicação (formigamento) se for parcial, e até a necrose com gangrena, se for total.
  • No coração: o infarto do miocárdio.

 

COMO PREVENIR?!

  • Evitar consumir alimentos que aumentem o LDL (colesterol ruim) e aumentar o consumo de alimentos que aumentem HDL (colesterol bom)
  • Evitar tabagismo
  • Controlar diabetes e hipertensão arterial
  • Praticar atividade física

27 de Julho de 2012 at 14:50 Deixe um comentário


Site do MUDI

Arquivo