Posts tagged ‘cigarro’

Narguile: Fumacinha que só faz mal à saúde

Fabio José Bianchi e Larissa Renata de Oliveira Bianchi

O Narguilé, famoso “cachimbo de água” que, de tempos para cá, tornou-se moda nacional, é de origem oriental, possuindo diversos nomes e formatos, de acordo com a região. É tradicionalmente utilizado em muitos países do mundo, em especial no Norte da África, Oriente Médio e Sul da Ásia. Outros nomes utilizados para se referir ao narguilé são: hookah (na Índia e outros países que falam inglês), shisha ou goza (nos países do Norte da África), narguilê, narguila, nakla, arguile, narguilé, entre outras denominações.

01

O fumo utilizado em narguilés é diferenciado dos demais, pois é feito com melaço (subproduto do açúcar) e frutas ou aromatizantes. As essências são variadas, podendo ser encontradas no aroma de frutas. O uso do narguilé envolve riscos à saúde, como acontece com todos os produtos derivados de tabaco. Há controvérsia, no entanto, se esses riscos são maiores ou menores que aqueles associados aos cigarros. Em média, ao fumar um cigarro em cinco minutos, inala-se entre 300 e 500 mililitros de fumaça. Já uma sessão de narguilé dura de vinte minutos a uma hora – o que representa 10 litros de fumaça.

A Organização Mundial de Saúde afirma que a fumaça do narguilé contém inúmeras toxinas que podem causar câncer do pulmão, doenças cardíacas e outras. A Academia Americana de Periodontologia (estuda a gengiva e as estruturas que dão suporte aos dentes) afirma que o uso do narguilé é comparável ao cigarro, em relação aos riscos de doenças da gengiva.

Estudos demonstram que o usuário do narguilé, comparado ao fumante típico de cigarros é exposto a mais a toxinas como nicotina e monóxido de carbono. Poucas ainda são as pesquisas que apontam cientificamente os efeitos do narguilé para o ser humano.

Anúncios

19 de Agosto de 2013 at 8:06 Deixe um comentário

O Vilão da História

Bruno Ribeiro Gomes
Acadêmico de Bioquímica e Monitor do MUDI

 

“O Ministério da Saúde adverte: Fumar é prejudicial à saúde”. Essa frase por estar tão presente em nossas vidas acaba sendo negligenciada pela população em geral, por conta disso nunca é demais relembrar dos malefícios que o tabagismo causa à saúde do ser humano. O consumo de cigarro é o principal causador de morte evitável no mundo e é um dos piores problemas de saúde pública enfrentados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Nas primeiras décadas do século XVI, espanhóis e portugueses trouxeram da América uma erva que já era a muito tempo utilizada pelos nativos em cerimônias religiosas e também como planta medicinal. Tal erva, o tabaco, rapidamente ficou bastante popular entre a burguesia européia. O cigarro já foi sinônimo de glamour, ou seja, de status social, mas curiosamente, um dos principais motivos que levavam as pessoas a fumar era a promessa de uma vida mais saudável. Fora até indicado para tratamento de diversas doenças! Tudo isso fez com houvesse um aumento progressivo de adeptos do tabagismo, surgindo, com o tempo, diversas doenças crônico-respiratórias e vícios relacionados ao tabagismo. A Alemanha de Hitler foi o primeiro país a ser bem sucedido em uma campanha anti-tabagismo, chegando a racionar cigarros entre os soldados, algo inimaginável para a época. O fato de Adolph Hitler detestar o cheiro de cigarro pode ter contribuído para o sucesso da empreitada.

A Nicotina tabacum, planta do tabaco, possui uma das principais substâncias que causa a dependência de cerca de um bilhão e duzentos milhões de habitantes no planeta, sendo que duzentos milhões são mulheres. Atualmente sabe-se que cerca de 4 mil substâncias tóxicas estão presentes no cigarro!

Diversas pesquisas relatam ser cada vez mais precoce o início do vício de fumar e a prevalência do tabagismo em adolescentes – a idade com maior risco de iniciação ao tabagismo é em torno dos 13 aos 15 anos de idade. A região Sul do Brasil, tem a maior média em número de fumantes mulheres, em média 53%, é a única região em que isso ocorre, mas em termos gerais os homens são a grande maioria. Mas o que leva as pessoas a querer experimentar o cigarro? A influência dos pais, o ciclo de amizades e a curiosidade, muito característica nesta faze da vida, leva os adolescentes a experimentar o cigarro e dele tornam-se dependentes. Outra pesquisa (efetuada pelo INCA) também mostrou que a concentração de fumantes é maior entre as pessoas com menos de oito anos de estudo do que entre pessoas com oito ou mais anos de estudo. Esses dados sugerem que, apesar de ter ocorrido uma expressiva redução do consumo de tabaco no Brasil nos últimos 15 anos, as populações de menor escolaridade parecem estar mais vulneráveis do que as populações mais instruídas às estratégias de mercado que favorecem a iniciação e a manutenção do consumo do tabaco (BREVE HISTÓRIA DO CIGARRO, s.d).

No Brasil o vício em Nicotina, sustenta 30,6 milhões de dependentes. 13% das mortes no país podem ser atribuídas ao tabagismo. Caso não esteja satisfeito, os usuários que consomem cigarro todos os dias, ao final do ano, eles já gastaram cerca de R$950,00, segundo a revista Galileu. No ranking mundial de países com maior número de fumantes o Brasil encontra-se em 74º lugar. Os cinco primeiros, respectivamente, são: Grécia, Slovênia, Ucrânia, Bulgária e República Tcheca.

No MUDI, com a abordagem de peças anatômicas danificadas em função de doenças influenciadas pelo fumo, despertam interessa da população fumante e não fumante para este tema.

13 de Março de 2013 at 10:40 Deixe um comentário

Enfisema Pulmonar

Professora Tania Soares

  • O QUE É?

Trata-se de uma doença crônica, na qual os tecidos dos pulmões são gradualmente destruídos, tornando-se hiperinsuflados (muito distendidos). Esta destruição ocorre nos alvéolos pulmonares, onde acontece a troca do oxigênio pelo gás carbônico. Então, o sangue circulante no organismo fica menos oxigenado e a pessoa passa a sentir falta de ar para realizar tarefas ou
exercitar-se. Além disso, os pulmões perdem a elasticidade, tornando mais difícil a saída do ar após cada inspiração.

  • QUAIS AS CAUSAS?

A maioria dos casos é devido ao tabagismo. Sendo que à medida que vão fumando, vão piorando a sua capacidade pulmonar. E isso ocorre com cerca de
10-15% dos fumantes mais suscetíveis ao efeito nocivo do fumo. Geralmente, essas alterações são sentidas após anos do uso de tabaco. Poucos casos são devidos à deficiência de alfa-1-antripsina, que é uma enzima produzida nos  pulmões.

  • COMO PREVENIR?

Evitar o tabagismo e reduzir a exposição a poluição do ar.

Lembrando que…

  • Quanto mais cigarros por dia ou mais anos fumando, maior a chance de desenvolvimento da doença. A forma de se prevenir é não fumar.
  • A interrupção do tabagismo também é benéfica em qualquer fase da doença, pois não acelera a progressão da mesma.

23 de Julho de 2012 at 9:40 Deixe um comentário


Site do MUDI

Arquivo