Posts tagged ‘coracao’

Aterosclerose

 

Profa. Dra. Tânia Soares

 

O QUE É?

Aterosclerose é o depósito na parede das artérias de substâncias gordurosas junto com colesterol, cálcio, produtos de degradação celular e fibrina (envolvida na coagulação do sangue e formador de coágulos). O local onde esse depósito ocorre chama-se placa.

Esclarecendo: AteROsclerose é diferente de ArteRIOsclerose, que é um termo geral usado para denominar o espessamento e endurecimento das artérias, decorrente do envelhecimento das pessoas.

 

 QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS?

As placas podem obstruir total ou parcialmente uma artéria, impedindo ou diminuindo a passagem de sangue. Além disso, sobre as placas podem se formar coágulos de sangue, denominados de trombos que, ao se soltarem, provocam embolias arteriais. Havendo diversas consequências de acordo com o órgão atingido:

 

O QUE CAUSA?

A aterosclerose é uma doença de progressão lenta e que pode se iniciar desde a infância. Em algumas pessoas atinge maior intensidade de progressão na terceira década (a partir dos 20 anos de idade) e noutras somente depois da quinta ou sexta década (50-60 anos). Sobre as causas de seu início não se sabe

muito, porém. Existem quatro teorias que tentam explicar porque a camada mais interna (endotélio) dos vasos é atingida.

  • A elevação da pressão arterial
  • A elevação dos níveis de gordura no sangue (colesterol e triglicerídeos).
  • O fumo. A fumaça do cigarro particularmente agride o endotélio das artérias das pernas, das artérias coronárias e da artéria aorta.
  • Ação de toxinas de origem infecciosa no endotélio das artérias.

 

ATENÇÃO: Por só um desses fatores ou mais de um deles, a camada interna das artérias fica espessada, o que diminui a luz dos vasos atingidos e a oferta de sangue nos territórios irrigados por esses vasos fica reduzida. Passando pouco sangue, menos do que o necessário para manter a função do órgão irrigado por ele naquele momento, ocorre a isquemia, o que no coração provoca a angina do peito.  Se o bloqueio é total, quando nada de sangue passa ocorre:

  • No cérebro: a trombose cerebral.
  • Na perna: a claudicação (formigamento) se for parcial, e até a necrose com gangrena, se for total.
  • No coração: o infarto do miocárdio.

 

COMO PREVENIR?!

  • Evitar consumir alimentos que aumentem o LDL (colesterol ruim) e aumentar o consumo de alimentos que aumentem HDL (colesterol bom)
  • Evitar tabagismo
  • Controlar diabetes e hipertensão arterial
  • Praticar atividade física

27 de Julho de 2012 at 14:50 Deixe um comentário

Doença de Chagas

Acadêmica de Medicina Camila Arfelli Cabrera

Orientação da Profª. Drª. Tania Regina Santos Soares

  • O que é?

Também denominada de tripanossomíase americana é uma doença infecciosa causada por um protozoário flageladoTrypanosoma cruzi. O seu vetor, Triatoma infestans é popularmente conhecido como “barbeiro”, “chupança” e vive, preferencialmente, em frestas de casas de barro ou pau-a-pique. Contaminam-se ao sugar sangue de animais (gatos, cães, gambás. tatus) infectados com o protozoário. Durante o repasto sanguíneo, o vetor elimina fezes e urina contaminadas com o protozoário, que poderá penetrar no local da picada, contaminando assim o homem. Tanto a fêmea quanto o macho são hematófagos e possuem hábitos noturnos.

  • Outras formas de transmissão
Transfusão de sangue, transplancentária, aleitamento materno, alimento contaminado com o vetor infectado (oral).
  • Prevenção

Combate ao barbeiro, melhoria das condições de habitação e higiene.

  • O que o paciente sente?

Durante a fase aguda da doença, no local da picada forma o “chagoma de inoculação”, que se próximo aos olhos é denominado de “sinal de Romaña”. Com a cronicidade, pode haver o comprometimento cardíaco (cardiomegalia), digestivo (megaesôfago e megacólon), ou ainda, um misto das formas anteriores. Quando tratada durante a fase aguda as chances de cura são grandes, mas diminuem com a cronicidade.

16 de Julho de 2012 at 17:52 Deixe um comentário

Infarto do Miocárdio

Profa. Dra. Tânia Soares

Silvio Hayashi

Causas

A principal causa de infarto do miocárdio é a obstrução da artéria coronário, responsável por irrigar, nutrir e oxigenar o músculo cardíaco. Existem algumas causas que levam a obstrução das artérias coronárias, sendo a principal delas a aterosclerose – acúmulo de gordura na parede das artérias, formando verdadeiras placas, as quais podem vir a obstruir o vaso e impedir o fluxo de sangue a partir daquele local.

Fatores de Risco

  • Pressão alta (hipertensão arterial);
  • Dislipidemias
  • Colesterol LDL e triglicerídeos (gorduras) elevados no sangue. As LDL levam o colesterol para as paredes das artérias e, em níveis elevados, aumentam o risco da ocorrência do infarto do miocárdio;
  • Diabetes mellitus: Excesso de açúcar no sangue. O diabetes está associado à aterosclerose e ao maior risco de infarto;
  • Tabagismo: O risco do infarto é sempre bem maior nos fumantes, pois o cigarro favorece a formação de placas ateroscleróticas nas artérias;
  • Vida sedentária: Pessoas que não fazem exercício regularmente têm maior risco de infarto do miocárdio.
  • Estresse: Pessoas que sofrem tensão emocional, nervosismo e têm uma vida agitada apresentam maior risco de infarto do miorcárdio;
  • Idade: O infarto pode ocorrer em qualquer idade acima dos 25 anos, mas é mais freqüente entre os 45 e 65 anos;
  • Hereditariedade: História de mesma doença em outros membros da família.

Sintomas

Os principais sintomas são:

  • Dor e sensação de aperto no peito, na altura do coração;
  • Dor costuma se irradiar para os ombros, braço esquerdo, mandíbula e costas;
  • Duração da dor é maior que 20 minutos;
  • Suores frios, náuseas, vômitos, palidez, falta de ar, perda temporária de consciência, sensação de morte eminente.

Como Prevenir

  • Controlar a alimentação: Carnes magras (peixes e aves), verduras, frutas e óleos de origem vegetal (alimentação pobre em gorduras de origem animal);
  • Manter o peso sob controle;
  • Praticar exercícios físicos regularmente sob supervisão médica;
  • Controlar a pressão arterial e o diabetes mellitus;
  • Abandonar o fumo;
  • Reduzir o colesterol no sangue;
  • Fazer exames preventivos.

2 de Julho de 2012 at 16:58 Deixe um comentário


Site do MUDI

Arquivo