Posts tagged ‘Genética’

Comemoração ao mês da mulher: Mayana Zatz

Por: André Luis Schimit da Silva

Biólogo. Museu Dinâmico Interdisciplinar da UEM

 1

Mayana Zatz possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (1968), doutorado em Genética pela Universidade de São Paulo (1974) e pós-doutorado em Genética Humana e Médica pela Universidade da Califórnia (1977).  Tem experiência na área de Genética, com ênfase em Genética Humana e Médica, atuando em biologia molecular com enfoque em doenças neuromusculares e pesquisas em células-tronco. Publicou 333 trabalhos científicos que foram citados mais de 7 mil  vezes. Foi colunista da revista Veja, tendo publicado mais de 250 artigos científicos para leigos. É autora do livro “Genética: escolhas que nossos avós não faziam”. Tem grande interesse em questões éticas relacionadas com o Genoma Humano, testes genéticos e células-tronco. Entre agosto de 2010 e dezembro de 2012  fez parte do corpo de revisores da revista Science. Participou ativamente da aprovação das pesquisas com células-tronco embrionárias pelos parlamentares (2005) e Supremo Tribunal Federal (2008).

            É professora titular de Genética do Instituto de Biociências da USP. Foi pró-reitora de Pesquisa da USP (2005-22009). É coordenadora do Centro de Pesquisas do genoma humano e células-tronco (CEGH-CEL) e do instituto nacional de células-tronco em doenças genéticas. É membro da academia brasileira de ciências e da academia de ciências dos países em desenvolvimento (TWAS) e presidente fundadora da associação brasileira de distrofia muscular (Abdim). Ganhou vários prêmios nacionais e internacionais. Recebeu a ordem nacional de grã-cruz de mérito científico do governo federal e do governo de São Paulo. Entre os prêmios internacionais, destacam-se o L’Óreal/Unesco para mulheres na ciência (2001), prêmio TWAS em pesquisa médica (2004), prêmio México de ciência e tecnologia (2008) e prêmio conte gaetano por trabalhos sociais 2011.

Além das pesquisas, tem um envolvimento importante no aconselhamento genético de famílias com doenças neuromusculares desde os anos 70. Já atendeu mais de 25 mil pessoas pertencentes a famílias de afetados.

            Cada dia mais conquistando seu espaço na área da Ciência temos em Mayana Zatz um de perseverança e força de vontade. Uma professora doutora respeitada internacionalmente que encontrou na educação e pesquisa uma forma de ajudar as pessoas que a rodeiam, e a contribuir para o avanço da ciência em todo o mundo.

 

30 de Março de 2014 at 18:27 Deixe um comentário

Barbara McClintonck: uma gigante da genética

Por: Suellen Lais Vicentino Vieira

Doutoranda do Programa de Biociências e Fisiopatologia – PBF – UEM

1

Mulher, mulher, santa mulher de cada dia, símbolo de beleza como Marilyn Monroe, ternura e bondade como Zilda Arns. O que seria do mundo sem sua presença, mesmo sendo considerado o sexo frágil? Se pensarmos na história sempre irá observar uma imagem feminina por traz de algo importante, como a de Barbara McClintock. O que, você não a conhece? Pois bem vamos aos fatos. Barbara nasceu em Nova York em 1902, foi uma figura importante na área de botânica e especialista em genética. Fez descobertas dos elementos genéticos móveis nas décadas de 1940 e 1950. Recebeu o prêmio Wolf de Medicina em 1981 e o Nobel de Fisiologia/Medicina em 1983, pela descoberta do fenômeno conhecido como transposição genética, além de outros prêmios, honra ao mérito e condecorações.

 Em um mundo tão masculinizado onde a figura do homem predomina no hall da fama das grandes descobertas, para esta pesquisadora não existiam barreiras.  Barbara ingressou na faculdade em 1919, mesmo com objeção da mãe, pois considerava que a filha ao estudar iria ter dificuldades para se casar, “crendices da época” ! Incentivada pelo pai, ingressou nos estudos recebendo o grau de Bachelor of Science em botânica em 1923. Especializou-se em genética e fez contribuições de extrema importância à ciência, garantindo seu podium dos “Nobéis” da vida! Barbara desenvolveu formas de corar e caracterizar cromossomos do milho, que eram completamente desconhecidos na época. Ao estudar a morfologia dos cromossomos, foi capaz de ligar grupos cromossômicos específicos de características que foram herdados em conjuntos além de diversas outras pesquisas e descobertas na área que contribuíram para o avanço cientifico.2

Barbara McClintock com certeza é um exemplo de determinação e caráter a ser seguido, e sendo considerada um dos pilares da genética ao lado de Mendel e Morgan. Despertada pelo prazer de saber, dedicou anos de sua vida a pesquisas científicas e a descobertas de grande impacto.

21 de Março de 2014 at 20:51 Deixe um comentário


Site do MUDI

Arquivo