Posts tagged ‘paracoccidiomicose’

Paracoccidioidomicose, o palavrão que preocupa

Isis Regina Grenier Capoci
Patricia Haddad
Programa de Biociências aplicadas á Farmácia

Soletre comigo, P-A-R-A-C-O-C-C-I-D-I-O-I-D-O-M-I-C-O-S-E… paracoccidioidomicose, que palavrão não é mesmo?

mudiMas além da dificuldade de ser pronunciada, o que muitos não sabem é que a paracoccidioidomicose (PCM) causada pelo fungo Paracoccidioides spp, para os íntimos paracoco, é uma  das micoses sistêmicas (que pode atingir todo o nosso organismo) mais importantes do Brasil, é a oitava causa de morte por doença infecciosa crônica, sendo um problema de saúde publica. Em nossa região a PCM está bastante presente, porém ela é muitas vezes confundida com outras doenças como a tuberculose (doença causada por bactéria). Por isso, deve-se “voltar os olhos” a essa doença e a esse fungo. É importante saber que o paracoco vive no solo das plantações, por isso as pessoas que trabalham na lavoura podem “respirar” o fungo junto com a poeira da terra. Depois de respirar o fungo, pode ser que nada aconteça, mas a pessoa pode ficar doente após algumas semanas, ou o fungo pode ficar “dormindo” no organismo e provocar a PCM depois de muitos anos.

O fungo pode atacar nosso corpo em vários locais, como pulmão, boca, garganta, pele e linfonodos (conhecidos como ínguas quando inflamados). Nas pessoas a PCM pode causar febre, rouquidão, tosse, “caroços” no pescoço ou virilha, emagrecimento, fraqueza e feridas na boca que não melhoram com medicamentos comuns. Para nossa sorte, a PCM não é transmitida de uma pessoa para outra, nem através de objetos pessoais e nem alimentos. UFAAAAA! Ela pode atingir cachorros, tatus e outros animais, mas também não é transmitida do animal para o homem. O médico poderá detectar se o indivíduo tem o paracoco ou não através de exames, já que ele aparece no escarro, ferida ou outra parte do corpo do paciente.

O tratamento da PCM pode ser realizado em casa, ou em casos mais graves no hospital. Mesmo apresentando melhora nos primeiros meses, NÃO SE DEVE ABANDONAR O TRATAMENTO E NEM DEIXAR DE IR AS CONSULTAS DO MÉDICO, POIS ISSO PODE AGRAVAR A DOENÇA E TORNAR A CURA MAIS DIFÍCIL. O médico e os exames laboratoriais que vão decidir quando se pode parar o tratamento.
Fiquem ligados, a paracoccioidomicose existe e merece nossa atenção!

Anúncios

3 de Abril de 2013 at 8:51 5 comentários


Site do MUDI

Arquivo