Posts tagged ‘resenha’

Resenha do filme “A Ilha”

Suellen Lais Vicentino

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Biociências Aplicadas a Farmácia

O filme “A ILHA”, lançado em 2005 pelo diretor Michael Bay (mesmo diretor de Transformers), traz a história de pessoas que vivem em um grande complexo onde acreditam que sobreviveram a um suposto vírus mortal que atacou o planeta terra. O único lugar que o vírus não pode chegar é um lugar paradisíaco chamado A ILHA, onde em certos momentos algum morador do complexo ganha na loteria, dando-lhe o direito de morar na “ilha”. Porém Lincom-Six-Echo (Ewan McGregor), um morador do complexo, descobre que “A ILHA” não existe.  E ao conseguir fugir do complexo leva consigo sua amiga Jordan–Two-Delta (Scarlett Johansson), que seria a próxima  sortuda a “ganhar na loteria” , os dois começam a descobrir que na verdade são clones encomendados por seus “proprietários”, para quando necessitarem de “novos” órgão, por exemplo, tivessem a disposição.

Mais o que seria um clone? Como se precede a clonagem? É permitido produzir um clone humano?

Clone, termo criado em 1903 por um botânico, é designado como  um descendente de um conjunto de células, moléculas ou organismos geneticamente igual à de uma célula matriz. O processo de clonagem se baseia na utilização de um nucleo de uma célula, da qual será implantado em uma célula que não possui núcleo, e posterior implantação em um útero. Esse foi o processo realizado com para o nascimento da ovelha Dolly. Mas e se fossem feitos clones humanos? A produção de clones humanos é discutida na ciência para a obtenção da cura de muitas doenças, por exemplo, leucemia, transplantes de órgãos compatíveis (caso mostrado no filme), mas imagine que você “encomende” um clone seu, e ele venha a nascer com anomalias. O que você faz? Despreza? Entra na justiça para o laboratório devolver seu dinheiro? Lembre-se que estamos falando de um ser humano, e não de um boneco.  A ciência busca alternativas nas células tronco que normalmente é obtida pelo processo de clonagem terapêutica para cura de doenças, como a paralisia de membros. Já a clonagem reprodutiva, ou seja, que dá origem a um novo ser vivo, esta é proibida em vários países. A ciência ainda tem muito a fazer para encontrarmos muitas respostas, entre elas a cura de doença.  Mas assista o filme e tenha seu ponto de vista sobre os princípios éticos da clonagem.

Anúncios

22 de Agosto de 2012 at 11:06 6 comentários

Resenha do Filme “Céu de Outubro”

Ely de Sousa Agudo (4º ano do curso de Física/UEM e monitor do MUDI)

Mayse Otofuji – Mestranda em Ensino de Ciências e Matemática e monitora do MUDI

Dados do filme O Céu de Outubro (October Sky, 1999)

• Direção: Joe Johnston

• Roteiro: Homer H. Hickam Jr., Lewis Colick
• Gênero: Drama
• Origem: Estados Unidos
• Duração: 108 minutos

Elenco

Jake Gyllenhaal (Homer Hickam);

Chris Cooper (John Hickam)

Laura Dern (Frieda Riley)

Chris Owen (Quentin Wilson)

William Lee Scott (Roy Lee Cook)

Chad Lindberg (Sherman O’Dell)

O filme foi baseado no romance autobiográfico Rocket Boys, de Homer Hickam, publicado em 1998, a história é ambientada no final dos anos 50, em uma cidade em que a mineração é a maior empregadora local e conta a história de um adolescente de Homer Hickam  (Jake Gyllenhaal) que ao saber que os russos colocaram o satélite Sputnik em órbita,  começa a sonhar juntamente com seu amigos,(Quentin, Roy Lee e O’Dell) em também colocar um foguete seu em órbita. Com o apoio de uma professora (Frieda Riley, interpretado por Laura Dern), do colégio onde estuda, Homer dá início ao projeto que irá mudar sua vida para sempre, pois passa a  ser o passaporte que permitirá a eles que sejam aceitos por alguma universidade. Mas para isso precisam ser bem sucedidos em um concurso internacional de ciências.

Mas a trajetória dos “fogueteiros” (forma como o grupo fica conhecido) não é nada fácil. A vida na cidade é dura e o futuro um tanto nebuloso, pois exceto um ou outro “felizardo” que consegue uma bolsa de estudos em alguma universidade – e somente graças ao bom desempenho no time de futebol americano – o destino da maioria é mesmo a mina de carvão, que para “ajudar” vem enfrentando vários problemas, como greve de mineradores e o risco de esgotamento dos recursos minerais. Isso tudo sem falar nos problemas tradicionais da adolescência, como as paixões secretas, brigas familiares e dificuldades financeiras.

Este filme demonstra a realidade da experimentação em Ciência, exemplificado pela confecção de um experimento científico (no caso, um foguete) presente na vida de um jovem aspirante a cientista (Homer Hickam). Podemos observar as dificuldades encontradas, os avanços, as melhorias e a conquista. O filme “Céu de Outubro” reflete bem como é o desenvolvimento científico, nos mostra o quanto devemos tentar até que alcancemos resultados positivos. No decorrer de toda a história da ciência vemos casos parecidos ao de Homer – personagem principal do filme – nos quais vários outros cientistas precisaram desenvolver diversos experimentos e melhora-los até alcançarem o sucesso e reconhecimento.

Podemos observar que o surgimento do interesse pela ciência, é sempre promovido por uma situação curiosa. No caso do filme, essa situação é a ferramenta motivadora com o lançamento do satélite Sputnik, pela Rússia, que foi responsável por um garoto comum conquistar uma bolsa de estudos numa universidade.

No filme de estudo, podemos ver que a ciência não está tão distante do cotidiano como muitos imaginam, um bom exemplo é a utilização de equações de movimento bidimensionais de projéteis, que foi capaz de inocentar os jovens garotos de um crime que não cometeram. Com o uso da matemática foi possível estimar a distância máxima percorrida pelo foguete, no filme a explicação que Homer usa para provar sua inocência ao diretor de sua escola, são equações de movimento ensinadas ainda no ensino médio, que, muitas vezes, podem ser próximas à realidade. Na situação demonstrada no filme,  para uma maior eficácia, a matemática é mais elaborada, e os dados como velocidade inicial, ângulo formado entre o foguete e o chão, a resistência do ar e etc. são fatores cruciais para o resultado correto dos cálculos.

Determinados fatores físicos foram cruciais no desenvolvimento do foguete, desde a aerodinâmica e a resistência dos materiais. A utilização de uma arruela (ou melhor, tubeira) deu ênfase na resistência térmica de determinados materiais, e a necessidade da utilização de um aço com características térmicas capaz de aguentar altos valores caloríficos.

Os valores caloríficos mencionados anteriormente são alcançados por meio de reações químicas durante a queima do combustível encontrada dentro do foguete. Esta queima é a responsável pelo movimento ganho do foguete, regida por leis da física.

Podemos concluir que filmes como “Céu de Outubro” reflete a vida de um cientista que precisa trabalhar duro e com determinação, independente das diversas falhas que ocorrerão durante sua pesquisa, ou seja, o filme é uma forma de divulgação científica para que as pessoas que o assista possam enxergar como a ciência pode ser desenvolvida por qualquer um que tenha vontade de aprender.

Por fim, o filme narra também a dura relação entre pai e filho e a forma com que a população lida com o processo científico, apresenta uma linguagem acessível, é despretensioso, inspirador, cativante, envolvente, com boa atuação dos atores, “Céu de Outubro” é um filme que fascina pelo roteiro, pelo ritmo, pelas emoções que ele desperta. Praticamente impossível não chorar com ele. Simplesmente, imperdível.

17 de Agosto de 2012 at 9:20 1 comentário

Resenha sobre o filme “Quase Deuses”

Suellen Laís Vicentino
Mestranda do Programa de Biociências Aplicada a Farmácia- UEM

Quase Deuses, é um filme baseado em fatos reais, lançado em 2004 pelo diretor Joseph Sargent, quemostra a história de Viven Thomas, um carpiteniro que sonhava  se tornar médico.  Guardava seu dinheiro em um banco para fazer faculdade de medicina. Porem o banco faliu perdendo todas suas economias. Tendo de recomerçar do zero ele não desistiu, foi trabalhar no laboratório de pesquisa do Dr. Alfred Blalock, um cirurgião, que fazia pesquisas em cães. Dr. Alfred viu de inicio que o jovem Viven tinha um dom e a partir dai começoua invertir no jovem.  Viven junto do o Dr. Alfred e a Dra. Helen Taussing, desenvolveram a cirurgia cardiaca para crianças com Tetralogia de Fallot. Esta doença trata-se de uma anomalia congenita, ou seja,a criança  nasce com esta doença, onde o invididuo apresenta quatro anormalidades anatomicas no coração,  não ocorrendo a oxigenação correta do organismo, levando o individuo a morte com o tempo.  Naquela época, 1945, cirurgias cardíacas eram consideradas loucuras, pois o coração era um órgão intocável, porem após a ousadia de Dr. Alfredmuitas evoluções nessa área foram possiveis. Hoje a cirurgia para o correção da tetralogia de Fallot, é um procedimento “tranquilo”, onde o risco de morte é muito pequeno. Não percam a oportunidade de assitir o filme, pois é muitos emocionantes.

20 de Julho de 2012 at 8:37 2 comentários


Site do MUDI

Arquivo