Posts tagged ‘sol’

Sol, a sobremesa que você precisa!

Ricardo Vargas de Andrade 

Nutricionista, mestrando em Biociências Aplicadas à Farmácia

Há muito tempo a vitamina D vem sendo estudada, mas nunca se falou tanto em suplementação como hoje. Esta vitamina é fundamental para o bom funcionamento do nosso organismo e seus benefícios vão muito além da proteção da massa óssea.

Para obter a vitamina D ativa no organismo é preciso combinar dois bons hábitos. O primeiro consumir alimentos que sejam fontes da vitamina D inativa (ou seja, uma forma que ainda não funciona). As principais fontes são de origem animal como o salmão, sardinha, fígado, gema de ovo, laticínios, e dentre os vegetais aqueles verdes escuros e cereais enriquecidos.

Todavia, de nada vai adiantar consumir estas fontes de vitamina D se não for associado à prática de tomar sol todos os dias ou pelo menos quatro vezes na semana no horário correto, já que a luz solar ira convertê-la da forma inativa em ativa.

Quando se pensa no aproveitamento da vitamina D, tem sido praticado um grande equívoco quando nos é instruído tomar sol antes das 10h da manhã e depois das 15h. Nestes horários a angulação do sol não permite uma grande incidência de raios UVB sobre a pele, são estes raios que promovem a ativação da Vit. D para que esta cumpra seu papel. Nestes horários o tempo de exposição ao sol teria que ser muito grande e ainda assim não poderíamos afirmar que teria sido ativada a Vit. D.

Talvez você esteja um pouco confuso neste momento, pois pode ter crescido ouvindo esta informação. Mas depois de muitas pesquisas os dados tem demonstrado que devemos tomar sol entre 12h até às 14h, e por apenas 20 min. protegendo o rosto e expondo braços e pernas, assim teríamos quantidade suficiente desta vitamina. Esta exposição deve ser feita por pelo menos quatro vezes durante uma semana.

O problema é que o sol não tem feito parte da vida da grande maioria da população brasileira e mesmo vivendo em um país com abundância de sol temos sofrido com a deficiência desta vitamina. Nas grandes cidades muitos saem para trabalhar antes do sol nascer e chegam depois dele se por. Outros têm tomado sol através do vidro da janela dos escritórios e dos para-brisas dos carros, o que impossibilita a utilização da radiação UVB para produção da vitamina D, já que o vidro a absorve.

A deficiência de vitamina D é um problema de saúde pública não só no Brasil como na maior parte do mundo, chegando a 70% da população no Brasil. Diante desta deficiência, temos que suplementar esta vitamina já no primeiro ano de vida. E, na grande maioria dos casos fazer uso do suplemento por toda a vida. Quando há diagnóstico de deficiência deverá ser ingerido de 2.000 – 10.000 UI (unidade internacional) durante três meses e depois utilizar uma dosagem de 1.000 UI por dia para manutenção.

Lembre-se sempre, quando se expuser ao sol de proteger o rosto. Passar protetor, usar chapéu ou boné e expor os membros superiores e inferiores sem proteção. Quando chegamos à terceira idade devemos expor mais o corpo, pois a pele enrugada diminui a produção de vitamina D. Nesta fase é fundamental o uso de suplemento, pois o risco de problemas ósseos é maior devido às mudanças hormonais.

A falta de vitamina D também pode acelerar o processo de envelhecimento cerebral, sendo fundamental em todas as fazes da vida. Neste contexto, é imprescindível sua suplementação entre os idosos para evitar a degeneração do sistema nervoso e o aparecimento de problemas como a doença de Alzheimer ou Esclerose Múltipla.

Nossa escolha deve ser por se expor ao sol, tudo que é natural é melhor do que o artificial, mas, na impossibilidade de tomar sol nos horários corretos faça uso do suplemento. Ainda é importante que realize o exame antes da suplementação para que o profissional de saúde que está lhe acompanhado possa definir a dose de vitamina D a ser utilizada.

15 de Julho de 2013 at 14:10 Deixe um comentário

Horário de Verão

Sumiko Massago

Acadêmica de Geografia da UEM e Monitora do MUDI

O horário de verão é utilizado por aproximadamente 90 países, incluindo o Brasil, caracteriza-se pelo adiantamento do relógio com o objetivo de economizar energia e aproveitar melhor o sol.

Começou no Brasil há muito tempo, em 1931, quando o presidente Getúlio Vargas implantou esta mudança de horário. Todavia, só em 2007 passou a ser adotado anualmente com datas pré-definidas, quando o ex-presidente Lula decretou que iniciasse sempre no 3º domingo de outubro e terminasse no 3º domingo de fevereiro, exceto quando coincide com o carnaval.

Hoje ele esta presente em todos os estado da região sul, sudeste e centro-oeste do Brasil, além da Bahia e DF, levando a redução no consumo de energia que represente a economia de aproximadamente R$ 160 milhões entre 2011 e 2012.

Por outro lado, essa mudança leva ao desajuste do relógio biológico ocasionando a diminuição do rendimento escolar e da atenção. Ainda altera hábitos alimentares e perturba o sono.

Ainda precisamos destacar que nessa época diminui o consumo de energia e a queima de combustíveis fósseis além de termos mais tempo para aproveitar a claridade do dia ao entardecer, o que beneficia o comércio, esporte e outras atividades.

Você sabia…

  • As regiões  próximas da linha do Equador tem pouco ou nenhum proveito de horário de verão.
  • Dependendo da localização em relação a linha do Equador chegam a adiantar 3 a 4  horas.         
  • O horário de verão foi criado em 1784 por físico Benjamin Franklin, o inventor do pára-raios.
  • Quando saímos do horário de verão, mudamos nossa rotina de exposição ao sol alterando a secreção de melatonina que regula o sono e a temperatura corporal.
  • Os sistemas de informática de muitas empresas precisam ser desligados e religados  no inicio e termino do horário de verão para evitar panes ou outros efeitos indesejáveis.
  • Para o próximo verão a estimativa é de economizar entre R$ 75 milhões e R$ 100 milhões.               
  • O próximo horário de verão vai do dia 21/10/2012 a 24/02/2013.

 

22 de Outubro de 2012 at 8:41 Deixe um comentário

O que é aquele círculo que forma em volta da lua em algumas noites?

Ely de Sousa Agudo 
Acadêmico do 3º ano do curso de Física 

O círculo que forma em volta da lua ou do sol em determinadas épocas do ano recebe o nome de halo. Este fenômeno ocorre quando nuvens altas (entre 5 a 10 km de altura) e rarefeitas contendo milhões de pequeninos cristais de gelo cobrem boa parte do céu. Esses pequenos cristais de gelo funcionam como se fossem lentes em miniatura. Como a maioria dos cristais possui uma forma característica, sendo ela hexagonal alongada, no instante em que a luz penetra esse cristal, ela sai desviada aproximadamente 22º, no qual corresponde ao halo lunar. Durante o dia também é possível observar o halo solar, que é similar ao lunar.

Este fenômeno tipicamente são indicadores de aproximação de uma frente quente associada a um sistema de baixas pressões. Não necessariamente aponta ocorrência de chuva ou neve.

(Atividade elaborada pelos alunos do curso de Física na disciplina de Estágio Supervisionado I no ano de 2011, sob a orientação do Prof. Msc. Ricardo Francisco Pereira).

27 de Agosto de 2012 at 9:00 2 comentários


Site do MUDI

Arquivo