Posts tagged ‘unha’

Micoses de unha, eu?

Cristiane Shinobu Mesquita
Programa de Pós-graduação em Biociências Aplicada a Farmácia da UEM


Dona de casa vive com as mãos úmidas ou molhadas, pois a todo momento está lavando ou limpando alguma coisa. E você trabalhadora do lar, já notou que em algum momento de sua vida suas unhas começaram a ficar amareladas, marrons, ocas e quebradiças? Se isso aconteceu com você, saiba que você pode estar com fungo nas unhas! Esta doença é popularmente conhecida como unheiro, mas seu nome médico é onicomicose e, quando acomete as cutículas também, é chamada paroníquia, ocorrendo com mais freqüência em pessoas que costumam ficar com as mãos úmidas por muito tempo.
Isso acontece porque os fungos gostam de ambientes úmidos e quentes para sobreviver, além disso, utilizam as compostos presentes nas unhas como nutriente para seu desenvolvimento. Esta doença leva muito tempo para se desenvolver e, existem pessoas que só percebem as lesões depois de muitos meses.
Não se trata de uma doença muito grave, na verdade a maioria das pessoas reclama pelo fator estético, já que as unhas ficam bem feias, porém, devemos tomar cuidado, pois pode ser transmitida para outras pessoas, através do contato ou do compartilhamento de objetos. E aí vem mais uma dica, é muito importante ter cuidado com os alicates de unha/cutícula, já que estes utensílios são uma das principais formas de transmissão desta doença.
Existe tratamento para esta doença, mas a pessoa deverá ter muita paciência, pois é longo, podendo durar até 6 meses. Por isso minhas amigas, ao notar que suas unhas começaram a adquirir um aspecto estranho, procurem um médico dermatologista, ele saberá recomendar o tratamento mais adequado.

Anúncios

28 de Junho de 2012 at 19:02 Deixe um comentário

O Pé Diabético

Mestranda: Tuane Krupek

Orientadora: Márcia Regina Batista

Talvez não seja exatamente como você está imaginando. Pé diabético não se trata de diabetes somente nos pés. Este é um termo utilizado para descrever uma complicação que acomete pessoas com Diabetes mellitus.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2011 esta doença atingiu cerca de 346 milhões de pessoas no mundo todo. Ocorre pela falta ou incapacidade da insulina exercer suas funções, sem ela a glicose fica acumulada no sangue, levando a hiperglicemia. A  insulina produzida pelo pâncreas faz com que a glicose seja levada para dentro das células para ser utilizada na manutenção de suas funções.

Uma das possíveis complicações do diabetes é o pé diabético, situação em que ocorrem anormalidades neurológicas e vários graus de doença vascular periférica, levando o paciente diabético a ulcerações (feridas) e infecções, culminando em amputações dos membros inferiores. Vamos entender melhor…

As anormalidades neurológicas ou neuropatia periférica fazem com que o paciente tenha uma diminuição da sensibilidade à dor e a temperatura, assim pode machucar-se sem perceber, até mesmo com um sapato apertado ou um banho em água quente, etc. Esta alteração nos nervos também causa diminuição do suor deixando os pés ressecados levando ao aparecimento de calos (hiperqueratose) e com o tempo úlceras. Estas feridas se tornam alvo de infecções, principalmente se não é feita a higiene correta os microrganismos proliferam. Somando-se a isso, o paciente tem cicatrização difícil, devido à diminuição da circulação sanguínea (a chamada doença vascular periférica). Se não forem tratadas corretamente as lesões podem se agravar e o paciente ter até que amputar dedos e pés e pernas.

Se você é diabético, tem algum parente ou amigo que tem esta doença saiba que o pé diabético pode ser prevenido. Para isso deve-se primeiramente seguir corretamente o tratamento proposto pelo médico, ou seja, a medicação e alimentação adequadas para controlar a doença. Deve-se evitar os sapatos fechados, usando apenas os feitos especialmente para diabéticos. As meias devem ser de algodão e com a costura para fora, fazer higiene adequada dos pés diariamente, secar entre os dedos, passar hidratante nos pés, fazer corte reto das unhas e nunca arredondado e ficar atento a qualquer alteração ou pequeno machucado nos pés. Ainda é preciso que os pés sejam observados diariamente pelo paciente ou por alguém que ajude em seu cuidado para verificar se existem lesões. Caso note alguma lesão, mesmo que pequena, procure o médico o quanto antes para que ela seja tratada e não se agrave.

Neste caso vale o ditado “prevenir é o melhor remédio”. Então se você é diabético mantenha alimentação adequada, faça o tratamento corretamente e cuide da saúde de seus pés.

25 de Junho de 2012 at 19:00 Deixe um comentário


Site do MUDI

Arquivo